Logo de II ConER

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Entendi

Informe as credenciais

Fechar janela

Ainda não possuo cadastro

Esqueci minha senha

Anais do Evento

Download do arquivo PDF dos Anais do II Congresso de Energias Renováveis

BIOCOMBUSTÍVEIS

CARACTERÍSTICAS ENERGÉTICAS DO TECIDO LESIONADO POR CANCRO NO TRONCO DE MOGNO AFRICANO

Gustavo Strack Jager Pereira1, Rodrigo de Sousa Oliveira1, Macksuel Fernandes da Silva1, Brenda Rodrigues de Souza1, Benito Perdomo Neto1, Mariana Pires Franco1, Carlos Roberto Sette Jr1

1Universidade Federal de Goias
E-mail: crsettejr@hotmail.com
A constante demanda da sociedade por madeira de qualidade associado a preocupação com a exploração de florestas nativas promovem o surgimento de espécies alternativas como o Mogno Africano (Khaya spp.). Com a chegada das matrizes, iniciou-se um ciclo de produção e o cultivo desta espécie se alastrou, resultando no aumento da ocorrência de pragas e doenças, como o Cancro, associado a presença do fungo Lasiodiplodia theobramae Pat. Griffon & Maubl, que se manifesta na forma de lesões salientes na casca. As lesões, em sua maioria, são fendas longitudinais que exsudam resina, destruindo as camadas superficiais do tronco, ocasionando intumescimento e trincamento das cascas. Como parte do combate e do manejo do Cancro, são previstos métodos como a raspagem do tecido lesionado do tronco, que gera uma grande quantidade de material (casca+resina+fungo) e que podem ser utilizados para fins energéticos. Nesse sentido, o trabalho objetivou o estudo das características energéticas do tecido lesionado retirado durante a raspagem do Cancro das árvores de Mogno Africano. Amostras do tecido foram coletadas do tronco de árvores de plantação localizada em Goiás e na sequência trituradas e moídas. Os resultados indicaram densidade a granel de 300 kg m-3, teor de cinzas, carbono fixo e voláteis de 2,6; 6,6 e 90,8%, respectivamente, com poder calorífico superior de 7.323 kcal kg-1. Como análises complementares, sugere-se a determinação dos componentes químicos, como o teor de extrativos e lignina. Os resultados preliminares indicam o potencial da utilização do tecido lesionado retirado do tronco das árvores de Mogno Africano como parte do combate ao Cancro, para fins energéticos.

Palavras-chave: resíduo florestal, bioenergia, Khaya spp.

Agradecimentos: Laboratório de Qualidade da Madeira e Bioenergia - LQMBio/UFG


Pesquisa por resumos apresentados

Pode-se escolher por um ou mais filtros de pesquisa

O congresso visa o encontro de profissionais, pesquisadores, centros de pesquisa, empresas e universidades para debater o uso e aplicação dos tipos de energias renováveis, bem como sua importância na sociedade, incentivando a pesquisa e o desenvolvimento científico por meio de palestras e apresentações de trabalhos.