Logo de II ConER

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Entendi

Informe as credenciais

Fechar janela

Ainda não possuo cadastro

Esqueci minha senha

Anais do Evento

Download do arquivo PDF dos Anais do II Congresso de Energias Renováveis

BIOCOMBUSTÍVEIS

MODELO ECONÔMICO COMO FERRAMENTA DE TOMADA DE DECISÕES PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DE MICROALGAS

Bruno Alves de Oliveira1, Claudia Aparecida de Mattos2, Flávia Talarico Saia1, Jose Juan Barrera Alba1

1Universidade Federal de São Paulo, Instituto do Mar - IMAR, Santos, Brasil., 2Centro Universitário FEI, Depto. de Engenharia Mecânica, São Bernardo do Campo, Brasil.
E-mail: brunifesp@gmail.com
As microalgas são organismos unicelulares de rápido crescimento e vem sendo amplamente estudadas para a produção de biodiesel. O cultivo de microalgas não requer terra agricultável e pode ser feito utilizando águas residuárias. Após uma extensiva revisão bibliográfica, observou-se que a grande parte dos estudos econômicos sobre a produção do biodiesel de microalgas utiliza uma contabilidade tradicional determinística e estima a produção em larga escala, geralmente com processos de biorrefinaria, requerendo altos investimentos e tempo considerável para a operação. Este trabalho conduziu uma análise econômica estocástica para um cenário de produção de biodiesel em pequena escala, aplicando técnicas de simulação Monte Carlo como meio de integrar a análise de risco ao processo de avaliação econômica. Paralelamente, foi proposto um modelo econômico como ferramenta para a tomada de decisões, elaborado a partir da construção detalhada do Capex e Opex, custeio de cada etapa do processo produtivo e simulação econômica multicenário. Para reforçar a análise, foram utilizadas técnicas de investimento VPL e TIR, e análise de sensibilidade para se identificar as variáveis que exercem maior impacto na produção do biodiesel e consequentemente no fluxo de caixa. Este estudo demonstra que a produção do biodiesel em pequena escala é financeiramente inviável dadas as condições em 2019 e que o maior ofensor econômico para este tipo de projeto é o Capex. No entanto, o trabalho amplia a discussão sobre os resultados das simulações, abordando aspectos econômicos ainda pouco discutidos nos estudos sobre o tema, tais como o impacto financeiro da adequação do biodiesel ao padrão brasileiro de qualidade regido pela norma RANP 45, os créditos de carbono e as políticas de incentivos e subsídios visando facilitar a viabilização de projetos de baixo impacto ambiental.

Palavras-chave: modelagem econômica, simulação Monte Carlo, biocombustíveis.

Agradecimentos: O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001.


Pesquisa por resumos apresentados

Pode-se escolher por um ou mais filtros de pesquisa