Logo de II ConER

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Entendi

Informe as credenciais

Fechar janela

Ainda não possuo cadastro

Esqueci minha senha

Anais do Evento

Download do arquivo PDF dos Anais do II Congresso de Energias Renováveis

BIOMASSA

CAPIM JARAGUÁ COMO LIGANTE EM BRIQUETES DE FINOS DE CARVÃO

Emanoel Zinza Junior1, Andrea Cressoni de Conti2, Gabriel Toledo Machado3, Fábio Minouru Yamaji3, Felipe Gomes Machado Cardoso4

1Universidade Estadual Paulista \\\\\\\\, 2Universidade Estadual Paulista , 3Universidade Federal de São Carlos, Depto. de Ciências Ambientais, Sorocaba, Brasil, 4Universidade Estadual Paulista
E-mail: emanoel.zinza@gmail.com
Define-se biomassa como todo resíduo animal e vegetal proveniente do meio ambiente ou de processos industriais, agroindustriais e agrícolas. A briquetagem é o processo utilizado para concentrar uma maior quantidade de resíduo em um menor volume. O carvão vegetal é obtido através da pirólise da madeira, devido à sua fragilidade possui capacidade de se fragmentar durante a produção, transporte e seu manuseio. Por ser uma cultura sazonal, muitos tipos de gramíneas apresentam elevadas quantidades de biomassa resultando em um potencial energético alto. Dentre estes tipos de gramíneas, o capim jaraguá caracteriza-se por possuir hastes rígidas, capazes de atingir 6 m de altura. O trabalho tem por objetivo a densificação dos resíduos, a fim de verificar a formação dos briquetes de finos de carvão utilizando o capim jaraguá como ligante. Os resíduos de capim jaraguá foram coletados em lavouras e os finos de carvão foram cedidos pela empresa CARVÃO VEGETAL VILA AUREA, ambos localizados na cidade de Auriflama/SP. Realizou-se a secagem do material e trituração. Uma mistura de 75% capim jaraguá e 25% de finos de carvão foi feita obtendo-se um poder calorifico superior de 21023J/g. Com uma prensa hidráulica efetuou-se a briquetagem das amostras há uma pressão de 15 Ton-força e tempo de um minuto. Analisou-se a expansão volumétrica, a análise química imediata de acordo com a NBR 8112 OUT/1996 e o teste de durabilidade dos briquetes de acordo com a CEN/TS 15210-2:2005. Através da expansão volumétrica observou-se uma expansão de 11% para os briquetes de capim e 8% para os briquetes produzidos a partir da blenda. Por meio da análise química imediata realizada em triplicata, observou-se que a blenda apresentou 10,3% ± 0,4% de teor de cinzas e 42,7% ± 13,4% de teor de voláteis, resultando em 47% de carbono fixo. No teste de durabilidade obteve-se 13% para a blenda e 93,4% para o briquete de capim jaraguá. Briquetes 100% de finos de carvão não se formam. Conclui-se que o capim jaraguá consegue ter um efeito ligante. Em trabalhos futuros pretende-se estudar blendas com porcentagens diferentes.

Palavras-chave: bioenergia, densificação, biomassa.

Agradecimentos: Os autores agradecem a FAPESP pelo apoio, processo nº 14827-8 e ao grupo de pesquisa BioJoule.


Pesquisa por resumos apresentados

Pode-se escolher por um ou mais filtros de pesquisa

O congresso visa o encontro de profissionais, pesquisadores, centros de pesquisa, empresas e universidades para debater o uso e aplicação dos tipos de energias renováveis, bem como sua importância na sociedade, incentivando a pesquisa e o desenvolvimento científico por meio de palestras e apresentações de trabalhos.