Logo de II ConER

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Entendi

Informe as credenciais

Fechar janela

Ainda não possuo cadastro

Esqueci minha senha

Anais do Evento

Download do arquivo PDF dos Anais do II Congresso de Energias Renováveis

BIOMASSA

ATRIBUTOS QUÍMICOS E MINERAIS DE RESÍDUOS LIGNOCELULÓSICOS DE ORIGEM URBANA PARA APROVEITAMENTO ENERGÉTICO

Gabriela Fontes Mayrinck Cupertino1, Natália Dias de Souza1, Ananias Francisco Dias Júnior2, Alfredo José dos Santos Junior1, Alison Moreira da Silva2, Aécio Dantas de Sousa Júnior1, Jéssica Grama Mesquita1, Luis Filipe Cabral Cezario2

1Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2Universidade Federal do Espírito Santo
E-mail: gabriela.mayrinck01@gmail.com
Devido ao crescimento populacional ao longo do tempo, a geração de resíduos sólidos urbanos (RSU) em grandes cidades têm se tornado um grande problema. Os componentes lignocelulósicos que constituem os RSU são os de maior destaque para a geração de energia, em função do seu caráter renovável. Nesse contexto, este estudo teve por objetivo caracterizar quimicamente os resíduos lignocelulósicos de origem urbana provenientes do município do Rio de Janeiro para fins energéticos. O material utilizado para o desenvolvimento da pesquisa consistia em biomassa proveniente de resíduo de arborização urbana, madeira provinda de Resíduo de Construção Civil (RCC) e restos de embalagens (pallets e caixotes de madeira de feira), esse material foi coletado na estação de transferência da COMLURB, localizada no bairro do Caju, município do Rio de Janeiro, RJ. A coleta foi realizada entre os meses de Agosto e Outubro de 2019. Para a realização das análises, a biomassa foi processada em um picador EDGE TRM516, passadas em um moinho de facas tipo Willey e posteriormente classificada entre as peneiras de 60 e 40 mesh. Para a determinação da composição química, foram quantificados os teores de extrativos, lignina e holocelulose. Na análise química imediata, foram obtidos os valores percentuais de materiais voláteis, carbono fixo e cinzas. A determinação de contaminantes sólidos não combustíveis em biomassa, foi realizada através da diferença entre teor de não combustíveis totais (NCT) e teor de não combustíveis originais (NCO). Os teores de extrativos, lignina e holocelulose encontrados foram, respectivamente, 1,52 %, 26,67 % e 68,00 %. As quantidades percentuais obtidas para materiais voláteis, carbono fixo e cinzas foram, na devida ordem, 76,80 %, 18,30 % e 4,90%. O valor encontrado para materiais não combustíveis adquiridos (NCA) foi de 0,35%, o que representou uma taxa de contaminação externa (TE) de 0,09%. Diante disso, concluiu-se que o material em estudo apresentou potencial para ser empregado na geração de energia.

Palavras-chave: análise química imediata, composição química, teor de contaminantes.

Agradecimentos: COMLURB, Laboratório de Energia da Biomassa (UFES) e Laboratório de Química e Bioquímica da Madeira (UFRRJ).


Pesquisa por resumos apresentados

Pode-se escolher por um ou mais filtros de pesquisa

O congresso visa o encontro de profissionais, pesquisadores, centros de pesquisa, empresas e universidades para debater o uso e aplicação dos tipos de energias renováveis, bem como sua importância na sociedade, incentivando a pesquisa e o desenvolvimento científico por meio de palestras e apresentações de trabalhos.